Diversos

Li em algum lugar que os florais estão aprovado pela Organização Mundial da Saúde. É verdade?

Essa ideia parece ter surgido porque a Organização Mundial da Saúde mencionou os remédios florais de Bach num de seus relatórios juntamente com outras terapias complementares para ilustrar alguns tipos de técnicas complementares de saúde sendo utilizadas a nível mundial.

Parece que alguém interpretou, erroneamente, essa referência como sendo uma aprovação oficial dos florais de Bach por parte da Organização Mundial da Saúde. Esta crença equivocada acabou sendo referida num livro. Outros autores acabaram citando essa frase em suas obras; ao ponto da idéia se ter espalhado mundialmente, sobretudo entre os países hispanos.

Tanto quanto sabemos, esta afirmação não é correta. A OMS não aprova nem licencia nenhum tipo de tratamento, por isso essa questão não deveria ser sequer levantada.

A quem pertence o Bach Centre?

A casa e o jardim de Mount Vernon são propriedade da Dr. Edward Bach Healing Trust, um fundo de caridade registado em 1989 para ajudar os mais idosos, pobres e doentes.

O fundo de beneficiência, por sua vez, aluga o espaço a duas entidades: a Bach Centre Mount Vernon Ltd. e a Bach Visitor and Education Centre Ltd. Estas duas empresas gerem o dia a dia do Centro incluindo o Registo Internacional de terapeutas (BFRPs).

Ambas companhias são propriedades da família Ramsell. John Ramsell que faleceu em 2008, se juntou ao centro nos anos 70, a convite de Nora Weeks e Victor Bullen. Sua filha, Judy é atualmente a diretora do Centro. A mais ninguém pertence a chefia e o controle das atividades do Bach Centre.

Li que a Nelsons comprou o Bach Centre. É verdade?

Não.

Um julgamento ocorrido no final dos anos 90 , em que a Healing Herbs processou a Nelsons, incluía a falsa insinuação de que a Bach Centre Mount Vernon Ltd. tinha sido vendida à Nelsons em 1993. Porém essa afirmação era e se provou falsa.

É certo, contudo que uma empresa com nome semelhante foi vendida à Nelsons em 1993 como parte da venda do negócio de produção de remédios florais do Centro. Mas, o Bach Centre Mount Vernon Ltd. não foi vendido em momento algum e continua sendo gerido, como aliás todo o Bach Centre, como parte de uma organização independente.

O que é a Bach Foundation?

O Bach Centre criou a Bach Foundation (ou a Dr. Edward Bach Foundation Ltd.) no início dos anos 90. Seu objetivo era dar formação e gerir o Registro de terapeutas para o Bach Centre.

Em 2007 decidimos gerir a formação e o resgistro a par da loja, do centro de visitantes, etc. Por isso decidimos transferir as funções do Dr. Edward Bach Foundation Ltd. para uma nova empresa chamada Bach Visitor and Education Centre Ltd.

Ainda utilizamos a designação e o logótipo “Bach Foundation” em relação a nosso programa de registro de terapeutas mas o Registro e a aprovação de cursos são diretamente geridas pelo Centro. “Bach Foundation” é uma marca registada e não um nome de uma organização separada.

Os BFRPs são obrigados ou induzidos a utilizar alguma gama de florais específica?

Não. O Código de Prática não faz referência a gamas e os BFRPs são inteiramente livres de escolher qual utilizar, podendo inclusivamente preparar seus próprios remédios florais se pretenderem.

Porque motivo os remédios têm data de validade? Deveria deixar de usá-los após essa data?

Por lei, os remédios têm que ter uma data de validade. O período indicado se relaciona com o tempo de vida de armazenamento numa garrafa de tampa de borracha do próprio brandy.

Os remédios manterão suas propriedades indefinidamente – apesar do brandy poder começar a ter um sabor estranho.

O que são os métodos solar e de fervura?

O método solar implica colocar as sumidades floridas em uma taça transparente cheia de água de nascente; deixar a taça exposta ao sol durante 3 horas, e após essas 3 horas remover as flores. A água energizada é misturada com uma quantidade igual de brandy.

O método de cocção implica colocar a matéria floral numa panela de água de nascente e fazê-la cozer meia hora; deixar arrefecer e retiram todos os restos da planta, misturando a água energizada com uma quantidade equivalente de brandy.

Em ambos casos a mistura se designa por Tintura-mãe. Essas tinturas-mãe são diluídas numa relação de duas gotas por cada frasco de 30ml cheio de brandy, dando origem aos frascos de remédios vendidos no mercado (que nós designamos “stock bottle”).

Qual a diferença entre a edição de «Os Doze Curadores» de 1936 e as edições mais recentes?

Desde que o Dr. Bach a escreveu, a obra «Os Doze Curadores» foi sempre a mais importante obra sobre os remédios florais. No Bach Centre sempre a tomamos como um texto básico de consulta – não como um documento histórico, mas como um manual que todo o mundo pode usar, que todo terapeuta possui e mesmo hoje em dia, nós o consultamos frequentemente. De cada vez que o fazemos, recebemos nossas entendimento sobre o sistema.

Enquanto texto de consulta, «Os Doze Curadores» tem sido revisto e aumentado ao longo dos anos para que cada nova edição vá ao encontro de novas necessidades entretanto surgidas. Isso foi exatamente o que Dr. Bach fez durante a sua vida – na realidade, as primeiras atualizações realizadas depois de 1936 foram ordenadas pelo próprio Dr. Bach antes de falecer.

Comparando a edição facsimile de 1936 e a edição ebook do Bach Centre de 2009 as diferenças mais relevantes são as seguintes:

  • A versão de 2010 contém a versão mais longa da introdução ditada pelo Dr. Bach no fim de Outubro de 1936, posterior à edição desse ano.
  • A frase de descrição do Rock Rose referindo-se ao remédio como o “rescue remedy” foi retirada para evitar mal entendidos com a sobejamente conhecida.
  • A lista de farmácias distribuidoras de florais de Bach desapareceu, pois o número de locais onde os remédios estão disponíveis aumentou muito além das possibilidades de colocá-los em formato livro.
  • As instruções de dosagem foram reescritas. Atualmente elas incluem indicações de como escolher florais, como usá-los em animais e em plantas; explica como usar a mistura de crise; bem como claras instruções sobre a dose mínima diária.
  • A introdução de 1936 sobre como fazer os remédios pois Dr. Bach a concebeu pensando naqueles que estariam fazendo os remédios para seu uso pessoal, e para simplificar a descrição, ele deixou de fora uma das diluições do processo, e porque, na prática, a maioria das pessoas se debatia para encontrar as plantas devido a suas nomenclaturas latinas. Para proporcionar ajuda prática e consistente, Nora Weeks e Victor Bullen escreveram o livro Illustrations and Preparations que inclui descrições detalhadas e fotografias das plantas corretas.
  • Algumas das nomenclaturas latinas das plantas foram alteradas. Continuam sendo as mesmas plantas, porém, as edições mais atuais refletem as mudanças nas Leis Internacionais de Nomenclatura Botânica.

De todas as edições, a definitiva é a de 1941, que é basicamente a edição de 1936, mas com uma introdução mais longa ditada pelo Dr. Bach pouco antes de sua morte. Você pode fazer o download dessa edição gratuitamente neste site.